Pesquise neste Blog

Carregando...

Sistema Nervoso


                            1. Atos reflexos e atos voluntários


   O ato voluntário é um ato em que você deseja fazer, por exemplo, digitar as teclas do computador.
  Já o ato reflexo, ou involuntário, é o ato que ocorre independentemente de uma ordem consciente sua. Geralmente ocorre se você for num médico e ele der uma martelada na sua patela para testar se ato reflexo. O sistema nervoso é responsável pela comunicação entre diferentes partes do corpo e pela coordenação de atividades voluntárias e involuntárias, conscientes e inconscientes.
Clique para ampliar

2. Neurônios


    O sistema nervoso permite a comunicação entre as várias partes do corpo. A comunicação é feita por meio de impulsos nervosos, que são mensagens que percorrem as células do sistema nervoso, os neurônios.  Os neurônios têm três partes fundamentais: o corpo celular, os dendritos e o axônio.
Clique para ampliar

                                  3. Estrutura geral do sistema nervoso


   O sistema nervoso humano é formado por bilhões de neurônios. Ele também inclui células que atuam na sustentação e na proteção de neurônios, chamadas células gliais.  O encéfalo fica protegido pelos os ossos do crânio e a medula espinal pelos os ossos da coluna vertebral, as vértebras. Os nervos que se ligam diretamente ao encéfalo são chamados de nervos cranianos. Os nervos se distribuem pelos braços, pelo tronco e pelas pernas são chamados nervos espinais. O encéfalo e a medula espinal constituem o sistema nervoso central (SNC) que comanda e coordena as atividades do organismo. Os nervos cranianos e os nervos espinais fazem parte do sistema nervoso periférico (SNP) que é responsável pela comunicação do SNC com diversas partes do corpo.
Clique para ampliar
4. O papel dos nervos


Os nervos do SNP são vias de comunicação

Clique para ampliar

    Os nervos do SNP são as vias de comunicação que conduzem impulsos improvenientes das várias partes do corpo para o SNC. O SNP também conduz as “ordens” do SNC até os locais do corpo onde serão executadas: os músculos e as glândulas. O SNC também recebe por meio do SNP, informações sobre o funcionamento de diversos órgãos.
    Os nervos são feixes formados pelo agrupamento de centenas, às vezes milhares de axônios. Uma comparação pode ser feita entre um nervo e um cabo telefônico. Assim como cada fiozinho que compõem o cabo telefônico é capaz de transmitir informações independentes dos outros. De maneira parecida, cada axônio presente em um nervo transmiti informaçõles de modo independente dos outros.
                 
5. O papel da medula espinal


   A medula espinal é um órgão tubular. Ela parte do encéfalo e se estende pelo canal da coluna vertebral.

A medula espinal conduz impulsos nervosos

   A medula espinal tem duas funções básicas no sistema nervoso. A primeira delas é a de conduzir impulsos nervosos do encéfalo para os nervos espinais e vice versa. Na figura abaixo, por exemplo, quando você vê a pessoa soltar a tira de papel, o estímulo visual é transformado, nos olhos em impulso nervoso que segue, por nervos cranianos, para o encéfalo. O encéfalo dá “ordem” para seus dedos pegarem a tira. Essa ordem vai até a medula espinal e a partir dela, por nervos espinais até os músculos que movimentarão os dedos e cumprirão a “ordem” dada.

Clique para ampliar
A medula espinal é um centro de reflexos

     A segunda função é servir como um centro de reflexos. Por exemplo uma pancada na patela faz esticar um múculo da perna, o quadríceps femoral,   e imediatamente, neurônios da região enviam impulsos nervosos à medula espinal informando que o músculo foi esticado. Logo após a chegada desses impulsos à medula espinal, segue por outros neurônios uma ordem para contrair o músculo. Isso é um ato reflexo.
   Para testar se você tem problemas com nervos ou com a medula espinal em movimentos, um médico neurologista utiliza um martelo de boracha

Atos reflexos nos ajudam

  Um ato reflexo é ‘’uma resposta rápida’’ do nosso organismo e essas respostas rápidas podem nos ajudar em diversas situações do dia a dia.
   Quando nos furamos, queimamos ou cortamos, nós rapidamente tiramos o corpo do objeto que ocasionou isso. Quando nós nos queimamos em uma panela quente, por exemplo, a resposta rápida do nosso organismo é de tirar a mão imediatamente da panela. Já pensou se isso não acontecesse? 

  Demorariamos mais para perceber que a mão estava sendo queimada, ocasionando assim uma queimadura mais agravante.
    É interessante também o fato de que se você sofrer uma queimadura, corte ou furo no corpo, A sensação de dor vem depois da resposta rápida (a retirada rápida do corpo do objeto que ocasionou isso). Porquê isso ocorre?
    Isso ocorre porque a retiragem do corpo do objeto que ocasionou isso (
ato reflexo) é mais rápida do que a sensação de dor. A medula espinal é responsável pelo ato reflexo e o cérebro é responsável pela sensação de dor.
    A medula espinal transmite ao cérebro através de impulsos nervosos que sua mão foi queimada (exemplo usado). O cérebro interpreta esses impulsos nervosos que volta como sensação de dor até a mão novamente, passando novamente pela medula espinal. Ao final desse processo a mão já tinha sido retirada da panela. Por isso a sensação de dor vem depois do ato reflexo.


                                      6. O papel do encéfalo


        O sistema nervoso detecta estimulos (internos e externos) e responde a eles. Um exemplo simples é o ato reflexo e um exemplo mais complexo é o controle do ritmo cardíaco, do ritmo respiratório e dos órgãos do sistema digestório. Além disso o sistema nervoso coordena várias atividades como a criatividade, as emoções, o talento artístico, a imaginação, a habilidade linguística, a personalidade e a capacidade de abstração (pensamento).

O cérebro não é a mesma coisa que encéfalo

        Você certamente achou que o encéfalo era o cérebro, mas não é. O encéfalo que fica protegido pelos ossos do crânio e uma parte do encéfalo é o cérebro. A imagem abaixo fará você entender melhor:

Clique para ampliar
  Figura A é uma imagem de um encéfalo em corte, com o nome das partes importantes e comentários sobre a atuação dessas partes no nosso corpo.
  A figura B mostra o cérebro humano, em corte. Pode-se observar que ele foi dividido em duas partes. Essas partes recebem nomes especiais, o hemisfério cerebral direito e o hemisfério cerebral esquerdo. A parte externa do cérebro é chamada de córtex cerebral, que é responsável em realizar diversas habilidades humanas.
 Muitas coisas ainda não foram descobertas sobre o encéfalo, em razão de sua complexidade.
  Após muitos estudos, cientistas reuniram suas descobertas sobre diferentes áreas do córtex cerebral relacionadas a realização de diferentes tarefas. Essas descobertas estão representadas na imagem C, que mostra o hemisfério cerebral esquerdo.
  O hemisfério cerebral esquerdo é dividido em quatro regiões, que são chamadas de lobos. Os lobos estão representados na figura em diferentes cores.
 No córtex cerebral existem regiões responsáveis pelas áreas motoras, pela interpretação de estimulos (visuais, auditivos, táteis, dolorosos, etc.) e regiões responsáveis por elaborar associações entre estímulos, guardando-os na memória.
  É no cérebro que estão diversas caracteristicas do ser humano, que fazem cada um de nós ser único.
                            7.  As divisões e subdivisões do sistema nervoso




  Como você viu anteriormente o sistema nervoso é dividido em uma parte central e outra periférica. O Sistema Nervoso Periférico (SNP) conduz os impulsos nervosos (que foram comandados pelo SNC) até os músculos ou glândulas, onde vão atuar.
  O SNP se divide em duas importantes divisões, o Sistema Nervoso Periférico Somático e o Sistema Nervoso Periférico Autônomo.
  O Sistema Nervoso Periférico Somático é responsável pelos movimentos voluntários, em especial o movimento dos músculos esqueléticos.
  O Sistema Nervoso Periférico Autônomo é responsável pelos movimentos involuntários. Como os batimentos cardíacos, os movimentos respiratórios e a atuação do estômago, intestino delgado e intestino grosso.
                             8. Os riscos com a medula espinal


  Uma lesão que atingir os feixes de axônios da medula espinal pode interromper total ou uma parte, a comunicação entre o encéfalo e as regiões do corpo abaixo da lesão.      Nessas regiões afetadas ocorrerá a perda de sensibilidade e/ou a paralisia dessas regiões.
  Com a perda da sensibilidade, você não sentirá as sensações táteis (quente frio e dor). Porque os impulsos nervosos captados pelos sensores da pele não chegarão ao encéfalo e assim ele não os interpretará. As sensações táteis só são sentidas quando o encéfalo as interpreta.
  Com a paralisia os estímulos enviados pelo encéfalo não chegarão aos músculos e assim a região que é movimentada por esses músculos não poderá ser movimentada.
Dependendo da região afetada a pessoa pode ficar paraplégica ou tetraplégica. Observe a imagem abaixo:


Clique para ampliar
Paraplégico é quando uma pessoa fica com os membros inferiores paralisados. Tetraplégico é quando uma pessoa fica com os quatro membros paralisados. Mas atenção os órgãos internos ainda funcionam, pois eles dependem de movimentos involuntários.
                                           9. Sinapse


   Os neurônios não atuam sozinhos, para se comunicar com outros neurônios e com outras células, eles usam regiões, chamadas de sinapses.
  Na sinapse os neurônios não entram diretamente em contato, há espaço muito pequeno entre eles. Um impulso nervoso consegue atravessar a sinapse porque ao chegar à extremidade do axônio, libera substancias químicas específicas, os neurotransmissores. Um neurotransmissor se espalha pela sinapse encontra o dendrito do neurônio seguinte, dando prosseguimento a propagação do impulso nervoso. A imagem abaixo ilustra esse acontecimento:
Clique para ampliar
O córtex cerebral humano é formado, segundo os cientistas, por aproximadamente 10 bilhões de neurônios, chagando a ter centenas de bilhões de sinapses.


Estimulantes e Depressores

  Tem substâncias que interferem no funcionamento das sinapses, do sistema nervoso em geral, a nicotina (presente no cigarro) e a cafeína (presente em diversos alimentos) são exemplos de substâncias estimulantes. Elas atuam nas sinapses e aumentam a atividade do sistema nervoso, deixando a pessoa mais alerta. O álcool e certos medicamentos tranqüilizantes são exemplos de substâncias que atuam como depressores, atuam nas sinapses reduzindo a atividade do sistema nervoso.
  A nicotina em longo prazo pode acarretar problemas cardíacos e circulatórios.
 Existe uma arma química, os gases de nervos, atuam nas sinapses e impedem a passagem dos impulsos nervosos. Causando morte por parada cardíaca ou respiratória.
                                                      Curiosidades!


1.Tétano

   Se a bactéria causadora do tétano contaminar o ferimento de uma pessoa que não foi vacinada contra tétano, a bactéria se reproduzirá no local. A substância tóxica produzida atingirá um nervo próximo, penetrando nele, até atingir a medula espinal.
  Da medula espinal chegará ao Sistema Nervoso Central e interferirá na transmissão dos impulsos nervosos destinados aos músculos. Isso causa convulsões (contrações dolorosas e involuntárias dos músculos) e rigidez muscular, que pode atingir todo o corpo.
  Se não receber tratamento médico, a pessoa infectada morrerá por parada respiratória.

2.Esclerose Múltipla

  O causa dessa doença ainda não foi esclarecida. Ela se caracteriza por danificar a camada protetora que reveste os axônios, a mielina.
  Costuma surgir no início da idade adulta. A perda de mielina (desmielinização) causa a perda da capacidade de realizar movimentos voluntários, tremores, dificuldade de pronunciar as palavras, distúrbios oculares e psíquicos. O sistema nervoso da pessoa infectada degenera-se terminando por imobilizar a pessoa na cama.

3.Meningite

  As meninges são três membranas que revestem o encéfalo e a medula espinal. A meningite é a inflamação das meninges, causada por infecção por determinados vírus e bactérias.
  Causa dor de cabeça intensa, febre, perda de apetite, intolerância ao som e à luz, rigidez muscular. Em casos mais graves: delírios, vômitos e convulsões, que podem acarretar em morte.

4.Nervo isquiático

  O nervo isquiático era antes chamado de ciático, é o nervo de maior diâmetro do corpo humano. Origina-se na região inferior da medula espinal, desce pela parte de trás da coxa se ramificam em dois nervos que se ramificam novamente até chagar a pele e aos músculos dos pés. Há um nervo isquiático do lado direito e outro do lado esquerdo do corpo.
  Uma lesão nesse nervo por um objeto perfurante ou cortante, uma queda, hérnia de disco ou injeção na nádega (aplicada incorretamente), podem pressionar ou romper (totalmente ou parcialmente) o nervo ciático.          A pessoa pode sofrer dores na perna, perder a sensibilidade nela, não conseguir dobrar o joelho e perder o movimento do pé ou da parte inferior da perna.
  A recuperação não é completa, pois o tecido nervoso não se regenera completamente.
Base: Livro Ciências Naturais, Aprendendo com o Cotidiano 8°Ano - Eduardo Leite do Canto








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui!